PROJETO CERTIMÍDIA

A humanidade entrou na nova era, com isso os meios de comunicação ficaram mais livres, descentralizados e dinâmicos. O fenômeno da mídia digital é notável à evolução, são as pessoas que impulsionam todas as plataformas como Youtube e afins. Independente da motivação destas o importante é que estamos caminhado no rumo certo: da informação livre.

Com o fito de acelerar esse processo, urge a criação de sistemas premiação para os que produzem mídias de qualidade, é nesse contexo que surge o Projeto Certimídia, sem fins lucrativos e independente.

Melhor do que criticar a mídias de má qualidade é premiar as de boa qualidade.

Consiste num sistema que visa qualificar tantas mídias quantas forem possíveis para alinhar a curva evolucional cada vez mais alto.

Partindo-se do princípio que todas as mídias possuem boa motivação e qualidade, ao analisar cada uma em específico, sua pontuação máxima vai sendo descontada de cada ponto negativo encontrado, se não houver pontos negativos a mídia permanece com sua pontuação máxima (12) e recebe a mais alta premiação.

Considera-se como pontos negativos:

  • Conteúdo de ódio: o amor é fundamental à evolução, a mídia que propagar qualquer conteúdo de violência, racismo, misandria e misogenia a mídia é automaticamente desqualificada sem exceções;
  • Fomento de vício: propaganda direta ou indireta de cerveja, cigarro, etc. apologia às drogas e afins, a mídia é automaticamente desqualificada sem exceções;
  • Informação errada: para os assuntos objetivos de fácil constação do erro, a mídia é automaticamente desqualificada, exceto se o erro for insignificante, nesse caso perde 01 ponto. Para os assuntos subjetivos, recebe o benefício da dúvida, exceto se contrariar os demais pontos;
  • Monopólio da informação: cobrar acesso de parte de informação de utilidade pública perde 03 pontos, frise-se, não aplicável para conteúdos de mero lazer;
  • Complexo de vira-lata: existe uma campanha mundial patrocinada pelo mal de dominação de culturas, os que mesmo de forma inocente tenham sucumbido à prática de americanização desnecessária da língua ou afins e inferiorização de culturas perde 02 pontos para cada evento constatado;
  • Defeitos técnicos: assim considerados como vídeo tremido, áudio ruim, má dicção ou fluência verbal (exceto em casos de deficiência), conflito cognitivo, enrrolação (10%), ausência de didática ou engajamento lúdico e mendicância virtual, sendo descontado 01 ponto para cada evento;
  • Ausência de inovação: embora não seja um defeito, o objetivo do Projeto Certimídia é fomentar o máximo de qualidade possível e somente as mídias inovadoras poderão receber a pontuação máxima.

Importante mencionar que o que se avalia é a mídia em si, e não a pessoa ou história da mesma. Havendo a participação de mais de um indivídio na mesma mídia a avaliação será individual.

PROJETO ENTENDENDO O CÉREBRO

O princípio básico do funcionamento do cérebro é a associação de coisas: palavras, objetos, cores, cheiros, sensações de tato e sensações emocionais. Como início do processo de entendimento sobre o funcionamento do cérebro as palavras tem um papel fundamental. Quando pensamos na maioria das vezes estamos utilizando associação de palavras que são um código para o raciocínio.

No cérebro existe a parte da memória, onde a associação dessas coisas ficam e a parte do processamento onde testamos as conexões dessas coisas constantemente. Para entender a parte do processamento é fundamental catalogar as conexões de associação de todas as palavras para então poder simular um código que simule o processamento do raciocínio. As palavras são a codificação do pensamento e o pensamento é associativo.

Todas as palavras estão conectadas de alguma forma e a lógica do raciocínio esta na proximidade dessa conexão. Por exemplo, a primeira palavra do dicionário: “aba” está associada a palavra “parte” e também a palavra “extremidade”. Se seguirmos com o processo de associação iremos percorrer todas as palavras que existem até voltar a se entrelaçar com a primeira.

Nosso processo de raciocínio entende que a palavra “aba” não faz o menor sentido com a palavra “criatura” por exemplo, porque suas conexões são muito distantes embora indiretamente conectadas, senão vejamos:

Ainda, existem vários tipos de associação, cada linha que conecta cada palavra pode ser de: duplo sentido, extensão, definição, classificação, juízo, etc…

Para catalogar todas essas associações podemos utilizar qualquer linguagem de programação de banco de dados de alto nível, como SQL por exemplo, visando facilitar a manipulação dos dados para posterior compilação à equipamento específico.

Utilizando SQL temos o simples código que segue:

CREATE TABLE aba (
duplo-sentido VARCHAR,
extensão VARCHAR,
definição VARCHAR,
classificação VARCHAR,
juízo VARCHAR,
);
INSERT INTO aba VALUES ('extremidade','parte','coisa',NULL)

CREATE TABLE extremidade (
duplo-sentido VARCHAR,
extensão VARCHAR,
definição VARCHAR,
classificação VARCHAR,
juízo VARCHAR,
);
INSERT INTO extremidade VALUES ('aba','parte','coisa',NULL)

CREATE TABLE parte (
duplo-sentido VARCHAR,
extensão VARCHAR,
definição VARCHAR,
classificação VARCHAR,
juízo VARCHAR,
);
INSERT INTO parte VALUES ('aba',NULL,'coisa',NULL)

CREATE TABLE coisa (
duplo-sentido VARCHAR,
extensão VARCHAR,
definição VARCHAR,
classificação VARCHAR,
juízo VARCHAR,
);
INSERT INTO coisa VALUES ('objeto','algo','matéria',NULL)
// e assim sussecivamente...

Estimando que cada palavra terá em média 5 conexões, que existem 500.000 palavras na lígua portuguesa e que cada varchar irá cosumir 21 bytes, mesmo sem utilizar as chaves extrangeiras do SQL para compactar o tamanho do banco de dados, podemos prever que o tamanho do banco quando terminado terá apenas 127.628,16 Gigabytes, algo que cabe em qualquer computador simples de hoje em dia.

As utilidades e implicações do projeto são extraordnárias, tanto no campo da inteligência artificial, quanto para o entendimento do processo cognitivo, e até para unificar consciências criando feramenta superior ao cérebro.

Já de inicio, assim que todas as palavras forem inseridas, com o algorótimo não muito complicado ja vai ser possível simunar juízo de valor a alguma frase ou livro.

Estabelecendo um valor entrem bem e mal graduando com as sete cores por exemplo é possivel criar uma imagem, um mapa do pensamento em cada lígua, por exemplo se o portugues tem mais ou menos palavras positivas, comparar com outras linguas, e até fundi-las.

Cada colaborador dará sua contribuição no banco de dados e todas suas associações ficarão vinculadas a seu nome, deixando o futuro algoritimo de processamento valorar a utilidade do pensamento de cada coladorador. A a única regra instransponível será a auto-preservação do sistema que impeça o algoritimo se auto-deletar, para estar em sintonia com o impulso oficial do universo e a Teoria do Infinito Bilateral.

Vamos começar? eu ja começei e estou com um servidor SQL à disposição, entre em contato.

(Davi Pinheiro)

CÓDIGO TERNÁRIO

Indo além da compactação do código binário, ao desenvolver um processador com transistores bipolares podemos dar um salto quântico em nossa capacidade de processamento, segue abaixo exemplo da linguagem a ser aplicada a tal arquitetura. Quem quiser ajudar no projeto de mapeamento dessa arquitetura ou patrocinar a produção entre em contato.

espaço-0-
0000
100+
20++
3+++
4++0
5+00
6+0+
7++-
8+–
9+-0
<–0
>-00
a-0+
b-++
c-+-
d+–
e–+
f+-+
g-+-
entre em contato para ver mais

COMPACTAÇÃO DE CÓDIGO BINÁRIO

Simplesmente todos os processadores disponibilizados ao público utilizam 8 bits por caractere. Contudo, isso é um desperdício de processamento, é perfeitamente possível reduzir a linguagem para 6 bits por caractere, aumentando a capacidade de processamento em mais 30%, senão vejamos: (Contudo, código binário é coisa do passado, a moda agora é código ternário.)

espaço100001
0000000
1000001
2000011
3000111
4001111
5011111
6111111
7111110
8111100
9111000
<101001
>100101
a101101
b100011
c110001
d100011
e100000
f010000
g001000
h000010
i000110
j001010
l010010
m100010
n110010
o101010
p100110
q101110
r111110
s<5
t<6
u<7
v<8
x<9
z<a
<0
+<1
*<2>
/<3>
=<4>
ç<b>
<c>
à<d>
ã<e>
â<f>
é<g>
ê<h>
í<i>
ó<j>
õ<l>
ô<m>
<as>
<o>
!<e>
@<q>
#<r>
$<rs>
%<pc>
&<ec>
(<ap>
)<fp>
_<lb>
§<pa>
?<ha>
{<ach>
}<fch>
[<ac>
]<fc>
,<v>
.<p>
:<2p>
ª<ae>
º<oe>
se<se>
sim<s>
não<n>
ou<ou>
pula para<pp>
escreve<es>
apaga<ap>
entrar<en>
sair<sa>
iniciar<!>
parar<>
calcula<!c>
inicia caixa alta<!cx>
para caixa alta<cx>
inicia sublinhado<!s>
para sublinhado<s>
inicia itálico<!i>
para itálico<0i>
inicia negrito<!n>
para negrito<0n>
inicia sobre-escrito<!se>
para sobre-escrito<0se>
quebra linha<0l>
w<dáblio>
y<ipsulom>
k<cá>
início do arquivo<!0>
fim do arquivo<0!>