QUAL O SENTIDO DA VIDA?

O SENTIDO DA VIDA

O Sentido da Vida é evoluir. Estamos vivos porque evoluímos e vivemos para evoluir. É uma referência circular que se auto confirma impulsionada pela Teoria do Infinito Bilateral.

Para entender o sentido da vida humana temos que nos despir de todos os pré-conceitos existentes posto que até agora ninguém foi capaz de dar uma resposta coerente.

Um dos conceitos prévios que limita nosso entendimento sobre a razão de nossa existência é a ideia de que o infinto somente se projeta para o futuro, para frente, quando na verdade o infinito também se projeta para trás, para o passado.

Se voltarmos ao passado nunca iremos alcançar um momento onde nada existia, sempre encontraremos algo cada vez menor e menos complexo. Portanto, não viemos do nada, evoluimos de algo menor e menos complexo.

Nós não viemos do nada, o nada não existe, o infinito também se projeta para o passado, máxima da Teoria do Infinto BilateralEvoluímos de algo menor e menos complexo.
(Davi Pinheiro)

Este simples conceito da Teoria do Infinto Bilateral explica muita coisa, e será melhor explicado abaixo.

Existe uma razão no universo que impulsiona tanto sua própria existência quanto a evolução e a criação de novas coisas, tudo sempre se tornando cada vez mais complexo e engendrado.

O nada não existe. Se o nada existisse seria alguma coisa. Essa é a lógica de tudo. Tudo sempre existiu, porém em proporções menores porque o nada nunca existiu.

A teoria do Infinito Bilateral impõe a lógica que é impossível não existir e que também é impossível não evoluir. Embora existam movimentos que influenciam a extinção através da desevolução, quando essas influencias chegam em si ocorre a reversão de movimento.

O Bem é a própria lógica da existência das coisas e o Mal é um erro no processo evolutivo que retocede e se auto destroi. Uma coisa confirma a outra.

Portanto, o ser humano é um dos estágios do processo evolutuivo do universo.

Agora transcrevendo o conceito para responder as três:

Questões Fundamentais

1ª Pergunta: De onde viemos?

Resposta: De algo menor e menos complexo, o nada nunca existiu.

2ª Pergunta: Qual o sentido da vida humana?

Resposta: Evoluir e continuar evoluindo. Quem defende o oposto, prega o retrocesso até sua própria extinção. Como algo que não existe jamais poderia defender sua existência. Portanto, não existe opção senão existir e evoluir. É uma referência circular, um infinito de conecxões bilaterais: Teoria do Infinito Bilateral.

3ª Pergunta: Para onde vamos?

Resposta: Depende de nossas influências, se forem movidas pelo Bem continuaremos evoluindo e nos tornando cada vez mais complexos infinitamente, se forem movidas pelo Mal retrocederemos até surgir nova espécie que reverta o movimento para o Bem, restabelecendo a lógica do universo.

Outra questão que reforça a lógica da resposta está no fato de que ao evoluir a humanidade se torna mais culta e inteligente, sendo capaz de encontrar novas respostas para o sentido da vida.

Estamos vivos porque evoluímos e vivemos para evoluir. É uma referência circular que se auto confirma impulsionada pela Teoria do Infinito Bilateral.

E o que é evoluir? questão muito complexa de ser respondida fosse a existência da felicidade nos servindo como norte evolucional, e o que é a felicidade?

TEORIA DO BIG BANG vs TEORIA DO INFINITO BILATERAL

A humaninade já se acostumou com o conceito de infinito no espaço e tempo. Agora devemos expantir esse conceito para obter o real significado do infinito. A Teoria do Big Bang prega que antes não havia coisa alguma e derrepente tudo se expandiu rumo ao infinito. Para o infinito realmente existir não pode ser apenas apartir de um ponto no espaço tempo, sob pena de ser finito.

Também, o nada não existe. Se existisse seria alguma coisa. O conceito correto para o nada é apenas o contexto de “ausência de”. O que havia antes da matemática ser codificada? nada de matemática, ausência de matemática. Portanto, a matemática não surgiu do nada e sim da constatação de fenomenos pre-existentes com a consequente tipificação do código.

Como o nada não existe e o infinito não se projeta apenas para o futuro e para frente, então temos que: se voltarmos ao passado, para trás, nunca iremos alcançar um momento onde nada existia, sempre encontraremos algo cada vez menor ou em planos diferentes. Portanto, não viemos do nada, evoluimos de algo menor no passado.

Este simples conceito explica muita coisa. Inclusive o sentido da vida.

LÓGICA DA TEORIA DO INFINITO BILATERAL

A Teoria do Infinito Bilateral impõe a lógica que é impossível não existir como prega a Teoria do Big Bang, e, que também é impossível não evoluir. Embora existam movimentos que influenciam a extinção através da desevolução, quando essas influências chegam em si ocorre a reversão de movimento. Esse é o impulso oficial de tudo.

Nesse contexto temos que o ateísmo também é uma religião, cuja fé repousa sob a existência do nada, pensamento paradoxal. Já acreditar na vida após a morte é o único raciocínio coerente, lógico. Vamos supor que não exista nem vida após a morte, nem antes do nascimento: do ponto de vista do morto não teria como provar nem a morte nem a vida, ja no ponto de vista do vivo tem como provar a existência da morte.

Então a morte é nada para o morto e ausência para o vivo. Como o nada não existe, se existisse seria alguma coisa, então a morte só existe para o vivo. Se a morte não existe para o morto então depois da morte existe vida. Teoria muito mais abrangente e coerente que o Big Bang.

(Davi Pinheiro)

RELACIONDADO: Nesse contexto evolutivo que foi criado
o Projeto Certimídia com o fito de fomentar a disseminação
do conhecimento de qualidade, elegendo e premiando mídias
de qualidade disponível gratuitamente à todos.
RELACIONADO: Muitos teóricos da evolução convergem contra a 
Teoria do Big Bang, em especial nosso conterrâneo Dr. Juliano 
Silva Neves, pós-doutorando no Intituto de Matemática, Estatística
e Ciência da Computação da UNICAMP, cuja sua tese de dissertação foi
publicada inclusive pela Revista General Relativity and Gravitation.
O artigo integral pode ser encontrado clicando aqui. Segundo dados
do Google Acadêmico, sua obra já foi citada pelo menos sete vezes
por outros pesquisadores conforme se verifica clicando aqui. A
íntegra também está diponibilizada nesta página logo abaixo.

17 respostas para “QUAL O SENTIDO DA VIDA?”

  1. De modo geral, concordo com o explanado. Mas existem outras questões a serem consideradas. Você fala de modo abrangente, que deixa a entender um conceito físico, material do universo. Neste aspecto temos novas teorias como a do Universo Fractal, que diz que o nosso universo foi gerado de outro, o Big Bang seria o início somente do nosso, num multiverso.

    Você também não cita que nossa evolução é estranha. Veja, você não vê qualquer outro animal que tenha desenvolvido similar inteligência. De fato, todos possuem uma inteligência, necessária à tomada de decisões, preservação da vida e espécie. Já a inteligência humana extrapola esta parte, ou seja, é muito mais do que precisamos para sobreviver, é um luxo. Tal fato nos instiga a julgar que ocorreu um ou mais intervenções em nosso processo evolutivo.
    Para além dessas considerações evolutivas, seria legal ler Planolândia de A. Abbott. Tenho um artigo sobre, caso já tenha lido o livro, se não, fica chato ler spoilers.

    Enfim, não creio que seja bidimensional. Mas o conceito básico de que o mal é um erro a ser corrigido é uma ótima analogia, bastante funcional. Vemos esta ideia bem explanado no espiritismo (kardecista) e seus processos reencarnatórios, cujo único fim possível é a evolução para o bem.

    1. Oi Lain a Teoria aqui levantada não é meramente material e além disso minha Teoria sobre o Sentido da Vida se auto confirma, é uma referência circular, sendo portanto uma Lei. Deus interferiu sim em nosso processo evolutivo, vide o artigo sobre Quem é Deus?
      https://davipinheiro.com/quem-e-deus/
      Quanto a obra “Planolândia” de A. ABBOTT se trata de um ser tridimencional (o autor do livro) imaginando ser um ser bidimencional para inferir que não podemos perceber outras dimensões; idéia paradoxal pois se podemos imaginar, sentir a ausência de uma dimensão também podemos sentir a presensa de mais uma.
      https://davipinheiro.com/entendendo-as-referencias-cruzadas-do-pensamento/
      Maior prova disso são os clarividentes, sensitivos, espiritas, etc. que tem percepções de outras dimensões. Até pessoas comuns sentem a quarta dimenção: espaço/tempo. Tem percebido que tudo está passando mais rápido, isso porque estamos acelerando nossa evolução.
      Eu mesmo já identifiquei a presença de pelo menos doze dimenções no som, sendo seis positivas e seis negativas, assunto no qual reluto em publicar devido ao fundado receio do conhecimento ser utilizado para o mal.
      Diferentemente de A. SCHOPENHAUER que publicou “A Arte de Ter Razão” me preocupo com o impacto que determinados conhecimentos tem na humanidade, um dilema difícil de resolver porque o conhecimento deve ser livre, enfim… conflito cognitivo…

Deixe uma resposta